Saudades dos tempos que não voltam - De bicicleta para a escola com meu pai



Com a volta às aulas para a maioria das crianças, tive uma reflexão saudosa dos tempos em que eu ia para a escola, e o que me marcou mais foi o compromisso do meu pai em levar eu e minhas irmãs todos os dias de bicicleta.

Era um percurso de ir deixar na escola pela manhã bem cedo, e ir buscar por volta do meio dia, isso era praticamente todos os dias e nós saíamos da rua Paraíba (ainda bidirecional nessa época) e seguíamos até a o bairro da Cachoeirinha, onde estudávamos na Escola Batista das Américas.

O percurso não era longo, mas também não era fácil, pois moramos em uma região elevada (Adrianópolis e Aleixo) e o bairro da Cachoeirinha já é uma área mais baixa, então enfrentávamos muito a ladeira do início da rua Paraíba, mas sempre íamos desmontados correndo pela calçada bastante arborizada e meu pai seguia logo atrás. Assim que saíssemos da ladeira, corríamos até a bicicleta para que o meu pai continuasse a nos levar para casa pedalando, pois o prazer era tão grande que até ele se divertia.

São momentos que não voltam, mas podem ser resgatados pelas gerações atuais, onde é possível incentivar seus filhos a irem com segurança para a escola, de preferência próxima de casa, guiando o filho por percursos não muito críticos, mas seguros para que eles possam começar a enxergar a cidade com outros valores, e passar a adotar um modal eficiente e prático como rotina em suas vidas.

Assim foi um dos primeiros momentos que tive e ficaram registrados na minha vida, do prazer que é usar a bicicleta e como ela precisa ser resgatada e incentivada pelo poder público, no qual um dia poderei ver diversas redes de escolas disponibilizando bicicletas e criando parcerias entre instituições privadas e públicas para implantarem uma infraestrutura que assegure a vida dos usuários, ou quem sabe, com essa parceria poderia surgir mecanismos que desestimule cada vez mais o uso do automóvel nas grandes cidade.

Atualmente nossos valores ficaram limitados em esperar nossos pais na frente da escola para que ele possa abrir a porta do carro e ligar o ar condicionado, esse é o prazer que algumas crianças sentem quando voltam da escola, outras nem isso tem, mas todas têm o prazer de ter a companhia dos pais ou irmãos, esse valor é o mais significativo sem dúvida, mas se eles estivessem com uma bicicleta, a rua seria a extensão da escola, como aprendizado para a vida.

Saudades dos tempos que não voltam - KJhones
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário