Manifesto contra a reativação do aviaquário em Manaus.

Quero deixar claro aqui expresso, que eu sou totalmente contra a "reativação" do antigo aviaquário da Matriz, no Centro de Manaus. Construir espaços para aprisionar animais, para mero divertimento humano vai contra todas as premissas estabelecidas pela ONU sobre os Direitos dos Animais e a dignidade à vida dos mesmos.

"DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO ANIMAL (ONU 1978)
Art. 4º - 2) Toda privação de liberdade, mesmo se tiver fins educativos, é contrária a este direito.
Art. 10º - 1) Nenhum animal deve ser explorado para divertimento do homem;
2) As exibições de animais e os espetáculos que os utilizam são incompatíveis com a dignidade do animal."

Caso essa decisão seja realmente leva a diante, fica claro que a cidade de Manaus através de seus gestores, não se importam com a qualidade de vida da fauna existente na região amazônica. Animais que poderia estar em liberdade, sendo apreciados em seus habitats, preservados em sua condições de vivência, sem a dependência humana, como assim fazem na natureza.


Desmatamos dezenas de fragmentos florestais a cada mês, para abrir caminho para grandiosos empreendimento imobiliários e, abertura de novas rodovias urbanas, deixando a fauna silvestre e urbana cada vez mais vulnerável aos assassinos que estão à solta na cidade.


Aos protetores de animais, cabe a defesa de não aceitar também que a Prefeitura realize este trabalho incompatível com a dignidade animal. Precisamos deixar claro que os animais têm um papel importante, quando aliado do homem, e não quando escravizado pelo homem. Não podemos permitir que esses tipos de espaços voltem a ser construídos em uma cidade que deveria ser exemplo em não aprisionar animais, mesmo os que são resgatados, pois os mesmos deveria ter ambientes mais adequados a sua capacidade de reintrodução na natureza, com a construção de mais mais reservas, parques e corredores ecológico, e não de zoológico, prisões de animais.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário