Após morte de ciclista na Zona Oeste, cicloativistas instalarão nova ‘Ghost Bike’ em Manaus.

O protesto será feito em homenagem ao ciclista Patrick de Souza Silva, de 30 anos, morto ao ser atropelado por uma carreta na noite desta quarta-feira (14), no bairro Tarumã. Testemunhas disseram que vítima agonizou antes de morrer na via.


Mais uma "Ghost Bike" - bicicleta branca instaladas em locais de acidentes fatais com ciclistas como forma de lembrança e protesto - será colocada nas ruas de Manaus. Desta vez, será em protesto pela morte do ciclista Patrick de Souza Silva, de 30 anos, que foi vítima de um acidente de trânsito envolvendo uma carreta na noite da última quarta-feira (14). O fato ocorreu na rua Dona Otíliana, próximo a entrada do Campos Sales, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, no momento em que a vítima retornava para casa.

De acordo com a polícia, a vítima estava caminhando pela via empurrando a bicicleta, no momento que o semirreboque modelo Randon, de placas JXJ 4076, da empresa GAB Transporte Ltda, que trafegava em alta velocidade, o atropelou. O impacto foi tão grande que uma das pernas do ciclista foi arrancada do corpo.

Testemunhas informaram à polícia que o ciclista ainda ficouagonizando por um tempo antes de morrer. Quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), chegou ao local do ocorrido a vítima já havia entrado em óbito. O ciclista trabalhava como segurança no Templo Mórmon, localizado na Estrada da Ponta Negra, na Zona oeste de Manaus, e retornava para a casa dele na comunidade Cidade das Luzes.

A Polícia Civil informou que o motorista evadiu-se do local do acidente sem prestar socorro a vítima, até o momento o mesmo não foi identificado. O caso foi registrado na 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e será encaminhado para a Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito que notificará a empresa para dar continuidade nos procedimentos do inquérito.

Patrick foi o terceiro ciclista vítima de acidente de trânsito em Manaus neste ano e por enquanto nada foi feito após as três mortes.

Sem infraestrutura para ciclistas

O movimento Pedala Manaus irá fixar a "Ghost Bike" no local em que ocorreu o acidente para prestar homenagem a vítima e também uma forma de protestar com o fato ocorrido. Para um dos coordenadores do movimento, Paulo Aguiar, Manaus continua em sem uma infraestrutura adequada para os ciclistas, nem fiscalização.

"O ideal seria termos infraestrutura adequada para os ciclistas, fiscalização, punição e uma campanha maciça de educação e sensibilização. A prefeitura já deu os primeiros passos nesse sentido, mas precisamos de pressa e urgência. O Poder público precisa ser contundente e efetivo nessas ações, sob pena de ser tachado de omisso e não dar prioridade a assuntos tão relevantes para a cidade, como a diminuição de mortes no trânsito e alternativas de transporte”, explicou Aguiar.

"Além da quase inércia na execução das promessas de campanha. Manaus exemplifica o atraso de políticas públicas voltadas à bicicleta como meio de transporte, prevalecendo a ultrapassada mentalidade priorização do transporte individual motorizado. Assim, a urgência para adoção de tais medidas reflete em uma despreocupação com o elo mais fraco nessa relação, qual seja, vida e segurança dos ciclistas", completou.

Fonte: A Crítica
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário