São Paulo terá ‘Virada do Patrimônio’ em dezembro.

Evento destaca imóveis tombados de SP, em iniciativa de valorização dos edifícios históricos.



A inspiração é estrangeira, mas o patrimônio é local. Pela primeira vez, São Paulo terá seus principais prédios históricos abertos ao público por 24h ininterruptas. Trata-se da Jornada do Patrimônio, evento marcado para os dias 12 e 13 de dezembro. Vinte e dois imóveis públicos já estão com participação confirmada. Nesta quinta, a Prefeitura divulga chamamento público para que os responsáveis por cada um dos cerca de 3 mil endereços tombados pelo Conpresp, o órgão municipal de proteção ao patrimônio, também possam aderir – as inscrições ficam abertas até o dia 25.

“Não gosto muito de usar o termo ‘virada’ porque parece moda, tudo se transformou em ‘virada’. Mas é uma espécie de ‘virada do patrimônio’”, diz o secretário municipal de Cultura, o arquiteto Nabil Georges Bonduki. “O importante é que o evento sirva para a cidade se reconhecer e recuperar a memória de sua identidade.”

Com a expectativa de entrar para o calendário anual de São Paulo, a Jornada do Patrimônio nasce nos moldes das parisienses Journées du Patrimoine – cuja primeira edição ocorreu em 1984 e acabou inspirando iniciativas parecidas em outras capitais europeias e, nos Estados Unidos, a nova-iorquina Open House.

Diretora do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) de São Paulo, a arquiteta Nadia Somekh conta que o projeto vem sendo preparado há pelo menos dois anos. Nos últimos dias 19 e 20 ela participou, como convidada, do evento de Paris – justamente para acompanhar a logística lá consolidada e pensar nas adaptações necessárias à capital paulista.

“Aprendi muita coisa e pude mostrar a eles o nosso projeto também”, relata. “A ideia principal da Jornada é sensibilizar e mobilizar a população para que todos vejam que a cidade tem história e tem memória. Vamos alargar o conceito de patrimônio.”

Nadia acredita ser importante conscientizar os proprietários de imóveis privados tombados pelo Conpresp para que estes tenham orgulho da situação. “No mundo todo, ter um bem tombado é sinal de prestígio”, comenta.

O secretário Bonduki prevê que tours noturnos sejam organizados, sobretudo em alguns dos 22 imóveis já listados pela Prefeitura como participantes. “E, quem sabe, alguns desses passeios possam continuar ocorrendo de forma constante, periodicamente”, vislumbra.

Fonte: Estadão
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário