Champs Elysées do futuro terá muito menos carros.

A prefeitura de Paris está planejando uma profunda reforma em uma de suas mais belas avenidas até 2025.


A mais bela avenida do mundo realmente precisa de uma grande reforma? A Champs Elysées, em Paris, pode ser citada como um grande atrativo turístico e a avenida mais fascinante do mundo, mas de acordo com a prefeitura, o famoso calçadão poderia passar por um polimento sério para deixa-la mais brilhante.

Depois da última renovação há 20 anos, a avenida foi sofrendo um desgaste. Alimentada com oito pistas de carros, cujo ruído reverbera fora de muros altos, as calçadas também ficam congestionadas por pessoas. Os turistas ainda não resistem ao lugar, para fotografias e visitar as lojas, mas hoje em dia muitos moradores fazem questão de evitá-la sempre que possível, por diversos fatores que perturbam a área. Os parisienses precisam voltar a se apaixonar por sua avenida, algo e algo novo precisa ser feito.

Isso será algo que vem sob a forma de um novo plano para transformar a avenida até 2025. O primeiro passo é retirar a maioria dos carros que trafegam pela avenida. No prazo de nove anos, as atuais oito pistas para veículos automóveis particulares serão reduzidas a uma faixa central mais estreita, abrindo espaço para ciclovias, um bonde e ônibus elétricos. As calçadas serão ampliadas, enquanto que os edifícios serão adornados com jardins na cobertura, as empresas instaladas na avenida passarão por um rigoroso ordenamento estético, de modo que calçadas e esplanadas vão manter uma sensação de harmonia. A rua que corre paralela à avenida, a Rue de Ponthieu, também será semi-pedestre.

Essas mudanças não envolvem apenas a diminuição da poluição na área, nem sobrea remodelação do lugar. A prefeitura está reconhecendo as necessidades da área e vai adaptar às principais razões pelos quais as pessoas frequentam a avenida. De acordo com Jean-Noel Reinhardt, presidente da associação empresarial local do ‘Comité des Champs Elysées’: "Três quartos das pessoas que vêm para a Champs Elysées fazem isso a pé, para tomar uma bebida ou ir ao cinema. 25% das pessoas que frequentam vão às compras."

No futuro, o popular ponto de encontro vai ter que ser mais do que uma vitrine para os produtos que estão agora disponíveis on-line. É preciso reconhecer esta mudança de consumo, e Paris quer atrair novos moradores para lá, não com as compras mais chique, mas com lugares para ver peças de teatro e filmes ou cafés. No futuro, encontrar um amigo para andar pelo eixo pedonal recém-expandido será reconhecido como não menos vital para a vitalidade da avenida e atrair novos negócios.

Paris está implantando algumas dessas mudanças dentro de algumas semanas. De 15 de novembro a 15 de janeiro, a avenida será um local de teste para uma nova marca de bonde-ônibus híbrido.

Chamado “Bluetram”, o veículo requer uma rota fixa, mas não precisa de um trilho, nem fio aéreo para operar. Em vez disso, recarrega suas baterias em cada parada, a recarga será feita através de um "engaste aéreo" elétrico que se conecta ao seu telhado. Quarenta segundos é o tempo estimado de recarga dos 10 modelos de “Bluetram”, e o equivalente ao que os passageiros tomam tempo para entrar e sair de qualquer dos veículos, e não deve haver qualquer interrupção perceptível no serviço.

Este projeto ousado está sendo lançado para coincidir com a Cop 21, A Conferência do Clima do Mundo que começa em 30 de novembro, mas este é o tipo de modelo que Paris pode muito bem adotar para reduzir o tráfego de automóveis particulares na avenida. Dentro de uma década, a visão da Champs Elysées abarrotada de borda a borda por carros, pode não se tornar apenas uma memória vista em fotos.

Fonte: citylab
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário