Seminário Internacional vai reunir propostas para melhorar os descolamentos a pé.

Inscrições para projetos terminam nesta quinta-feira. Palestras são gratuitas entre os dias 25 e 28 deste mês.


Andar a pé pelos bairros ou nas regiões centrais das cidades tem sido um desafio cada vez maior. Algo que deveria ser natural e até mesmo incentivado pelo poder público esbarra na falta de prioridade para o pedestre em detrimento ao transporte individual motorizado, na pouca estrutura e até mesmo no descaso de proprietários de imóveis e das administrações municipais que ao menos consertam um buraco na calçada – uma medida, inclusive, extremamente simples.

Se para quem não possui nenhuma limitação física a situação já é complicada, quem porta alguma deficiência ou impedimento, mesmo que de forma momentânea, deve travar uma verdadeira batalha para ir e vir. Muito se fala, por exemplo, em acessibilidade no transporte coletivo. Apesar de ainda haver necessidade de aprimoramentos, as frotas de ônibus têm aumentado a quantidade de veículos com elevadores para chassi de piso alto e rampas para a configuração piso baixo. Mas e como chegar a estes ônibus acessíveis? E a mobilidade a pé nas periferias?

Estas e outras questões vão ser debatidas em São Paulo, no “Seminário Cidades a Pé”, realizado pela ANTP – Associação Nacional dos Transportes Públicos.

O evento é gratuito e ocorre entre os dias 25 e 28 de novembro, das 8h00 às 18h30. As palestras vão ser realizadas no Instituto Tomie Ohtake, na Rua Coropés, 88, em Pinheiros, zona Oeste.

Especialistas brasileiros e de outros países vão ministrar as palestras. Entre estes técnicos, está a diretora do Departamento de Planejamento Urbano de Helsinque, capital da Finlândia, Reetta Putkonen. A cidade tem uma meta ambiciosa até 2025: reduzir a necessidade do uso do carro de forma drástica, pela tecnologia e pela integração entre os diferentes modais.

Além das palestras, ONGs, estudiosos, especialistas e cidadãos de forma individual podem também inscrever ideias e projetos para serem debatidos. Trata-se da iniciativa chamada “Pontapé”. A vantagem é dar visibilidade aos projetos para torná-los concretos.

As inscrições dos projetos vão até esta quinta-feira, 05 de novembro. Já para as palestras, até as vagas se esgotarem. Tudo é gratuito.


Fonte: blogpontodeonibus
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário