Manaus á teve um dia sem carro.



Não foi um #DiaMundialSemCarro, mas foi paralisado o tráfego de veículos em toda a cidade, nenhum carro nas ruas, até mesmo os ônibus não trafegaram.

Isso ocorreu devido a uma greve, e os "profissionais do volante" (termo usado naquela época para os choferes) não aceitarem um acordo sobre pagamento de contribuições, sim, só tinha carro naquele tempo, quem tinha chofer, motorista particular, carro era artigo de luxo e nobreza para a grande população.

Hoje, Dia Mundial Sem Carro, a cidade não parou, nem precisava, são outros tempos, mas a cidade sofre imensamente de inchaço de veículos particulares, agora sem choferes, mas cada um com o seu veículo, ou até mais, faz com que o tráfego se torne caótico, quando tratam o veículo como elemento individual e segregador do espaço urbano.

Ninguém precisa parar, ou um cidade inteira parar, precisamos sim nos conscientizar, sobre a forma como usamos esse veículo individual e particular no espaço público, é um dever nosso como cidadãos, promovermos uma relação de vivência na cidade, sem a dependência contínua do carro.

Esse é o apelo feito onde milhares de cidades no mundo fazem, no Dia Mundial Sem Carro, um apelo para que as autoridades e cidadãos tenham consciência de pelo um dia no ano, podem optar por outros modais, isso inclui desde caronas solidárias, ao transporte público (mesmo deficiente), até aos transportes ativos e eficientes, como a caminhada, a bicicleta, o skate e o patins.

Este dia é um momento para refletirmos sobre a forma como usamos a cidade e consumimos bens tão individuais, sem pensar no coletivo, ou seja, o caos no trânsito é nada mais que isso, é o inchaço individual se sobrepondo aos anseios do coletivo.

Todos sabem que o carro é o principal agente e elemento da atual situação de degradação urbana, onde claramente vemos medidas tomadas que priorizam o veículo, desde o desmatamento contínuo para abrir estacionamentos particulares, retirada de praças, de calçadas, de imóveis para dar mais espaço ao uso do carro, com isso a cidade vai criando imensos espaços vazios, lugares ociosos, como os estacionamentos nas vias públicas (não particulares), que tornam parte da via um lugar ocioso, sem uso coletivo, pois o individual se sobrepôs, muitas vezes impedindo que o coletivo transite, criando barreiras acessíveis e visuais.

O carro é o elemento que mais mata hoje no Brasil e no mundo, mais que uma arma de fogo, isso precisa mudar, e depende apenas de cada um de nós querer essa mudança, que vai desde a não dependência diária do carro, que causa transtornos ao ambiente urbano, como a poluição do ar e poluição sonora. Ninguém mais sente os efeitos da poluição do ar, pois ela se faz presente diariamente e inalamos grandes quantidades de partículas de CO² que ficam em suspensão no ar, todos nós sofremos silenciosamente com esses efeito.

Você não precisa largar o carro, só não precisa se tornar dependente dele, ao ponto de não aceitar e não acreditar que existem muitas outras opções para se deslocar pelo meio urbano, isso vai desde uma mudança de hábito, para se programar em sair mais cedo de casa e ir caminhando para o trabalho, faculdade ou escola. 

Todos sabem que a bicicleta é um grande aliado da cidade, elemento de propulsão humana que te faz exercitar a todo instante, promovendo a liberação da endorfina, hormônio da felicidade, por isso você vê muitos ciclistas desestressados e felizes pedalando pela cidade, é a sensação mais prazerosa que se tem, quando se começa a pedalar e a sentir o vento no rosto, a única expressão facial é o sorriso, que naturalmente surge. 

Muitos ainda não usam a bicicleta, porque nossa vontade política não permite, não quer, sim, é uma questão de querer ou não priorizar o tráfego de bicicletas nas ruas, mesmo as leis dizendo claramente que a bicicleta tem prioridade sobre os veículos individuais, é uma questão de querer que isso seja reconhecido, e é pra isso que existem cidadãos que batalham diariamente se mobilizando para alertar e mostrar o quão nos temos o direito prioritário de trafegar com segurança pelas ruas.

Você e eu podemos mudar a nossa cidade, pois o "Futuro da Minha Cidade" depende do Agora, da atitude de cada cidadão agindo hoje, é que podemos promover a mudança que tanto queremos.

Parabéns pra você que optou hoje , 22 de setembro, por não usar o carro e contribuir um pouco para um cidade melhor
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário