Natureza morta é pintada nos igarapés de Manaus.

"Manaus está se tornando uma cidade de natureza morta", onde paisagens culturais como as palafitas em morros e à beira de igarapés estão sendo remodeladas por córregos de esgotos não tratados e por habitações populares de alvenaria.


Paisagem Cultural das palafitas no morro do Bairro de São Raimundo.
Interferência fotográfica.©KeyceJhones

Manaus é uma cidade atípica por sua conformação junto a um dos maiores rios do mundo, o Rio Negro, que em períodos do ano provoca o que chamamos de cheia e vazante do rio, proporcionando cenários únicos na cidade, onde em momentos vimos trechos da cidade  banhado por águas escuras e geladas, e em outros momentos vimos uma vasta área de terra que se transformam em lugares de lazer para os ribeirinho, nome dado aos moradores da beiro do rio.

Trecho do igarapé de São Raimundo.
Foto.©KeyceJhones
Não só essa paisagem cultural é formada à beira dos igarapés e do rio, mas a paisagem ambiental dos cursos d´água que fazem suas curvas naturais, dos morros e vegetações típicas de área alagadas e principalmente de animais que habitam esse lugar estão sendo perdidas algo logo dos anos, com projetos ousados que interferem no cenário amazônico.

Muitos projetos e pesquisas acadêmicas já foram realizados para esta área do São Raimundo, onde contemplavam todo o aspecto morfológico composto pelas palafitas que ocupam o morro e a orla. A ideia de alguns projetos intervia na melhoria da questão sanitária e de acessibilidade da área, tornando o lugar muito contemplativo e proporcionando todo um visual   harmônico com meio urbano da cidade.

Precisamos entender e proteger esse nosso patrimônio cultural, sem que haja interferências drásticas em seu contexto, pois elas fazem referências à música e pintura de artistas locais, como Thiago de Melo, Moacir de Andrade e outros. Que legado teremos para as próxima gerações se não permanecemos (preservamos) com nossas paisagens culturais?
Paisagem das palafitas em tempo de cheia do Rio Negro.
Interferência fotográfica.©KeyceJhones

Marina Silva disse em uma conferência, no Fórum Exame de Sustentabilidade realizado no mês passado, que a sustentabilidade possui quatro pilares, sendo: Econômica; Social; Ambiental; Cultural; Ética; Política e Estética. Sem esses elementos integrados na cidade, a sociedade não permanece viva, ela só passa pelo lugar. “O ser sustentável do século XXI não diz respeito apenas ao fazer. O ser sustentável do século XXI diz respeito a uma visão de futuro, a um ideal de vida a ser vivenciado agora e no futuro. É uma maneira de ser”, afirmou Marina.


Orla de São Raimundo, vista a partir do igarapé
de São Vicente, no Centro.
Foto.©KeyceJhones
Precisamos fazer uma ação que preserve essa paisagem cultural e ambiental na cidade. Muitos acham feio, mas é porque a desordem social foi se instalado em vários pontos, principalmente na orla. Mas com um bom planejamento estratégico e específico é possível  remodelar a área sem perder o seu valor  paisagístico. Muitos  desses moradores de palafitas são trabalhadores de estaleiros e de embarcações regionais, onde tiram seu sustento próximo ao Rio Negro. Um controle social é possível, adequando as casas sobre estacas de madeiras, muitas delas atualmente estão sendo demolidas para construir uma imagem de concreto e alvenaria que foram  instigadas pela economia e acreditar que podem habitar em um espaço mais confortável. Isso poderia ser levado em consideração no novo plano do governo que prevê a retirada  destes moradores para abrigá-los em conjuntos habitacionais, do modelo do Prosamim.

PAISAGEM CULTURAL DO
IGARAPÉ DE SÃO RAIMUNDO
Foto.©KeyceJhones

Foto.©KeyceJhones

Foto.©KeyceJhones

Foto.©KeyceJhones
Cotidiano de um ribeirinho em Manaus - Foto.©KeyceJhones

Embarcação de ribeirinhos - Foto.©KeyceJhones

Boca do igarapé de São Raimundo que deságua no Rio Negro.Foto.©KeyceJhones
Pôr-do-sol sobre a orla do igarapé de São Raimundo.
Foto.©KeyceJhones
Ponte de São Raimundo.Foto.©KeyceJhones
Vista do pôr-do-sol no Igarapé de São Raimundo.
Foto.©KeyceJhones
Trecho do igarapé de São Raimundo.
Foto.©KeyceJhones
Interferência fotográfica.©KeyceJhones
Interferência fotográfica.©KeyceJhones

PROJETO DE INTERVENÇÃO DO PROSAMIM - 3ª ETAPA

Segundo o governo a orla dos bairros de São Raimundo e Glória, na Zona Oeste de Manaus, deverá ser transformada na nova “Ponta Negra”.

Ilustração - Divulgação Portal ACrítica.com

O projeto de transformação urbanística, que o governo classifica como audacioso, faz parte da terceira etapa do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), já realizado em várias zonas da cidade, com início previsto para os primeiros meses de 2012. Além dos bairros São Raimundo e Glória, os bairros de Aparecida, São Jorge, Presidente Vargas e Centro, na área conhecida como bairro do Céu, também serão completados pelo Prosamim. O “Prosamim 3” tem investimento total da ordem de US$ 400 milhões financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Todo o investimento das áreas serão voltados a construção de conjuntos habitacionais, os tradicionais apartamentos do Prosamim, melhorias urbanísticas, parques, quadras e ciclovias.


Fonte: Matéria de Florêncio Mesquita retirada do portal ACrítica.com

Campanha: "NÃO EXTERMINEM AS PALAFITAS DE MANAUS!"
Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário