Telhado branco, uma prática eficiente e econômica para amenizar impactos ambientais.

Diminuir a temperatura nos ambientes é muito fácil e econômico, estudos comprovam que coberturas pintadas em branco reduzem entre 40% à 70% a temperatura nos ambientes, com capacidade de reduzir também em até 96% os raios UV, e refletir mais 80% os raios solares, no que pode gerar uma economia de energia elétrica em torno de 30% nas edificações.


Muita gente ainda vem apostando que em Manaus se deva ter telhando verdes, ou seja, telhados com vegetação para amenizar os impactos gerados pela irradiação, onde o solo e a vegetação criam um bloqueio natural, mas nossa região é de clima úmido e quente, o que pode ocasionar, caso a cobertura não seja bem tratada e impermeabilizada, o aparecimento de bolor, umidade na madeira, laja e paredes, além de infiltrações. Esse tipo de técnica construtiva, é eficiente em alguns casos mais isolados, tornam o ambiente atrativo para pássaros e outros animais sempre que for planejado ainda em projeto. Em casos de intervenções é necessário contratar especialistas para poder fazer todo o levantamento necessário para não causar os danos mencionados acima.

AS coberturas brancas, ou telhados brancos, são extremamente práticos e de baixo custo, comparado a outros processos de intervenção para minimizar o aquecimento de ambientes. Usando sempre produtos indicados para telhas e lajes, com baixa toxicidade para também não causar alergias. Veja alguns dos benefícios:


- Diminuição das ilhas de calor dos prédios/casas.

- Diminuição da emissão de CO2.
.
- Ajuda a refletir raio solar de volta para espaço.

- Resultado instantâneo.

- Reduz custo de ar condicionado.

- Ação eficiente no combate ao aquecimento global.


O Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus poderia trazer uma lei que incentive toda construção na cidade, a adotar essa postura, especificando as condições necessárias sobre os tipos de edificações e materiais de coberturas que podem sofrer essa intervenção, e também na hora de planejar um novo empreendimento. Podendo ter abatimento no IPTU para imóveis que incentivem essa prática e que mantenham conservadas as suas coberturas. Com isto, pode ser feito uma série de campanhas para que moradores de baixa renda pudessem ter acesso a materiais para intervirem em suas habitações, gerando desta forma uma cadeia de valores que beneficiará tanto a gestão pública, quanto no consumo de energia elétrica.

Então, que tal começar hoje mesmo a pintar a cobertura da sua edificação de branco? Chame toda a família e incentive seus amigos a fazerem o mesmo, desta forma você estará contribuindo para melhorar a qualidade ambiental onde vive.

Um Grau a Menos é o que propõe a campanha da Green Building Concil Brasil.



A Green Building Council Brasil lançou em 2010 uma campanha chamada "One Degree Less" (Um Grau a Menos), para conscientizar a todos sobre a importâncias de combater o aquecimento global, e para isso está incentivando as pessoas a pintarem seus telhados de branco.

Quem fizer esta ação, não estará só ajudando o planeta, mas a si mesmo, pois os custos com energia podem reduzir consideravelmente, e o GBC Brasil também entrega um certificado com o selo para quem enviar a sua ação.

É uma excelente iniciativa que pode provocar uma nova consciência sobre a forma de construção eficiente, não só sustentável, para garantir a qualidade de vida, minimizando os impactos sobre as ilhas de calor gerados sobre o micro clima nas grandes cidades.

Veja o vídeo da campanha:



Leia esta matéria que saiu no Estadão, sobre a campanha que Nova York está desenvolvendo para minimizar o aquecimento global:

Nova York aposta em telhados brancos contra o aquecimento global.
Programa existe desde 2009; objetivo é reduzir o consumo de energia e, consequentemente, o impacto ambiental dos edifícios.

Conhecida pela divulgação e promoção de ações de sustentabilidade, a Prefeitura de Nova York criou um programa pelo qual pretende pintar de branco, senão a totalidade, a maior quantidade possível de telhados da cidade.

O objetivo da medida é reduzir o consumo de energia dos moradores e, assim, o impacto que causam no meio ambiente.

Isso porque, com os telhados pintados de branco, a temperatura no interior de um edifício pode cair até 30%, diminuindo os gastos com ar-condicionado e, consequentemente, a emissão de gases do efeito estufa, o que, em última análise, ajuda a controlar os efeitos nocivos do aquecimento global.


O programa, chamado de "Cool Roofs" (ou "Telhados Frios", em tradução literal), faz parte de um conjunto de medidas tomadas por Nova York com o intuito a reduzir em 30% a emissão de gases causadores do efeito estufa até 2030.



Segundo um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa de Sistemas Climáticos da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, um telhado pintado na cor branca registrou, no dia mais quente deste ano, uma temperatura até seis graus menor do que a verificada em um tradicional, sem a tinta.

A explicação é simples e tem origem nas leis da física: enquanto os telhados pretos ou escuros absorvem a energia do sol quase completamente, os brancos refletem os raios solares, dispersando o calor.

Especialistas também indicam que a cobertura branca ajuda na conservação dos telhados das edificações.

Lançado há três anos, o programa já totaliza 260 mil metros quadrados de telhados pintados de branco.

"Estamos trabalhando lentamente e não será possível pintar todos os telhados da cidade, ora pelo material, ora pelas condições de segurança necessárias para pintá-lo. Mas vamos fazer tudo o que pudermos", disse à BBC Tori Edmiston, vice-diretor de Relações Exteriores Comunitárias do Conselho da Cidade de Nova York, a agência da Prefeitura responsável pelo programa.

Mobilização

Para concluir tal tarefa, a Prefeitura conta com a ajuda de jovens voluntários, que atuam como pintores temporários. "Aqui em cima faz muito calor, mas o esforço vale a pena, porque conhecemos pessoas e ajudamos nossa comunidade com um projeto sustentável maravilhoso", disse à BBC James Allison, da ONG Inroads, que seleciona voluntários para participar no programa.

Até agora, 3 mil pessoas já subiram no topo dos edifícios de Manhattan para pintá-los de branco. A segurança dos voluntários e a implementação do projeto ficam a cargo de Loreta Tapia, supervisora do programa.

"Em primeiro lugar, aplicamos duas demãos de tinta látex, que, por ser muito densa, se contrai para depois se expandir. A cor, um branco brilhante, transforma completamente os telhados 'fechados' de Nova York, antes cinza, preto e prata", disse ela à BBC.

Qualquer edifício pode participar do programa. A cidade também tem acordos com lojas de tinta, que fornecem o material necessário para o programa.

Apesar dos critérios de elegibilidade serem elásticos, os responsáveis pela iniciativa miram, principalmente, os arranha-céus, onde mais pessoas precisam economizar energia.

Por enquanto, os tetos mais pintados são os de universidades, bibliotecas e edifícios públicos, além de blocos de apartamentos de moradores de baixa renda.

A pintura, entretanto, não prescinde de um detalhado estudo de caso. Nele, calcula-se o consumo de energia do edifício, o valor da economia com a cobertura branca e uma averiguação minuciosa da estrutura do telhado.

No verão, a temperatura registrada nos telhados de Nova York pode superar facilmente 80 graus Celsius.

Há dias, inclusive, que tal limite é ultrapassado. Termômetros já chegaram a marcar 87 graus Celsius no topo dos edifícios da cidade.

Ao lado do asfalto, os telhados são as estruturas que mais absorvem a energia solar, decorrência do fenômeno chamado "ilhas de calor", típico das grandes cidades e responsável pela sensação de abafamento.

'Ilhas de calor'

Nova York, por exemplo, sofre consideravelmente deste efeito, registrando uma temperatura média três graus acima do recomendado para uma cidade. Desde 2009, uma lei exige que todos os novos edifícios construídos na "Big Apple" tenham seus telhados pintados de branco.

Pesquisas mostram que para cada 92 metros quadrados de tinta branca sobre as telhas, uma tonelada de dióxido de carbono deixa de ser jogada na atmosfera.

A atual temporada do programa começou em maio e se estende até outubro, quando os dias ensolarados começam a ceder lugar para o vento frio do começo do outono. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Fonte: Estadão



São Paulo e Santa Catarina já elaboraram leis que incentivam a pintura dos telhados em branco, mas tem gerado algumas polêmicas devido ao clima e a técnica para pintar as coberturas das novas edificações.

É importante atentar sobre as condições do telhado ou laje para que não haja um processo inverso ao desejado. Por exemplo, algumas tintas imobiliárias comuns são a base de água, o que pode ocasionar o surgimento de fungos, conhecidos como mofo ou bolor, assim como algas e cianobactérias, que causam o escurecimento de telhados e, consequentemente, o aumento da temperatura interna e o consumo de energia, fato que já acontece atualmente na maioria das edificações que não são tratadas, onde pode se observar as coberturas escurecidas.

E se essas tintas forem aplicadas diretamente nos telhados, sem a completa remoção dos fungos do local, esses microrganismos poderão crescer de forma muito mais acelerada entre as camadas de tinta. Por isso que é fundamental a escolha da tinta ideal para aplicar e também que se faça o tratamento da cobertura, pelo menos lavando com produtos que possam remover esses microrganismos.

As dicas colocadas aqui são muito válidas, e não deixe de começar a fazer logo e perceber o rápido efeito que isso causa. Um teste simples é você pintar de branco uma pequena área do telhado é colocar uma mão onde não está pintado e a outra onde está pintado, logo vais perceber o que este efeito da física pode proporcionar se for bem aplicado e manter um manutenção na cobertura.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Keyce Jhones

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário